Vida e Saúde

Qual a importância do autoconhecimento para os pais?

"Se não há autoconhecimento, corremos o risco de repetirmos padrões negativos de interações familiares ao longo de gerações". Daniel J. Siegel.
Tempo de leitura: 4 minutos

Você sabia que o autoconhecimento tem um impacto muito grande na maneira como você se relaciona e educa os seus filhos?

Pesquisas em psicologia e neurociências já apontam os diversos benefícios do autoconhecimento, mas como os pais, podem fazer uso do mesmo para beneficiar a própria vida , os seus relacionamentos interpessoais, e principalmente o seu relacionamento com os seus filhos?

Compreender a própria história de vida, e a qualidade das experiências vividas na infância, principalmente com os seus pais, pode ser um caminho para um melhor entendimento de si mesmo e da maneira como você se relaciona com os seus filhos.

Quanto mais vocês pais, compreenderem o sentido das suas vidas, mais capacitados, vocês estarão em orientar as crianças, para que também possam encontrar o sentido das suas vidas, se tornando crianças e adolescentes cada vez mais independentes, autoconfiantes e com uma autoestima forte.

O autoconhecimento não somente lhe permite identificar quais áreas da sua vida necessita de uma mudança, ele abre caminhos para tais mudanças.

O autoconhecimento nos permite entrar em contato com a nossa história de vida.

Por que é tão importante entender e extrair um sentido da nossa história de vida?

As nossas primeiras conexões emocionais se deram com os nossos pais, e apesar delas não serem determinantes nas nossas vidas, elas têm uma grande influência sobre nós, e podem influenciar na maneira como nos relacionamos com os outros.

Entrar em contato com a nossa história é procurar extrair da mesma um sentido, dar um significado, e a partir de aí promover mudanças, pois só podemos modificar aquilo que conhecemos.

Se não há autoconhecimento, corremos o risco de repetirmos padrões negativos de interações familiares ao longo de gerações.

Quantas vezes você se viu repetindo com seus filhos, as mesmas palavras que foram ditas a você e  que muito lhe magoaram na infância? E você acabou ficando triste por isso, ou até mesmo se sentindo culpado?

Situações assim acabam gerando muita dor e culpa nos pais, o que consequentemente acaba afetando de forma negativa o seu relacionamento com seus filhos.

Para que haja mudança é preciso refletir, identificar e a partir daí de forma consciente encontrar meios de promover mudanças.

Não há como exercer uma paternidade e maternidade sem cometer erros. Eles irão existir, afinal, os pais são humanos e também estão vivenciando o seu próprio processo de aprendizagem.

O importante é aprender com os erros e buscar maneiras mais assertivas de se comunicar e relacionar com os filhos.

A grande diferença é que, ao extrair sentido da sua história de vida, você torna-se mais consciente, portanto, com maior probabilidade de tomar as rédeas da própria vida. Identificando o que deve ou não permanecer nas suas práticas educacionais.

Uma das coisas mais valiosas que o autoconhecimento pode proporcionar aos pais é a consciência da sua humanidade.

Ter consciência da nossa humanidade é compreender que também falhamos e isso tem um impacto muito grande na maneira como iremos lidar com os comportamentos das crianças.

Quando compreendemos que também cometemos erros e que procurar fazer diferente é um processo que requer tempo e disciplina, passamos a olhar para o processo de aprendizagem das crianças com mais compaixão e empatia.

Através do autoconhecimento, os pais têm maiores condições de não somente compreender a sua relação com os seus filhos, mas também decidir o que deve ou não permanecer nas suas práticas educativas.

Os seus pais deram-lhe suporte emocional? Acompanharam você nos seus estudos? Você sentia-se amado, acolhido? Sentia-se seguro na presença dos seus pais?  Como essas experiências afetaram a sua vida e a maneira como você se relaciona hoje com os seus filhos?

Quando falamos sobre compreender a sua história de vida, não é com o objetivo de ficar remoendo o seu passado, mas de ter uma clareza do que aconteceu e ser capaz a partir daí, de tomar as rédeas da própria vida e fazer diferente. Sim! Você pode fazer diferente!

Se você teve uma história marcada por desafetos e hoje sente que de alguma maneira esses sentimentos estão-lhe impedindo de criar vínculos afetivos com o seu filho, invista no seu autoconhecimento e se precisar, busque ajuda de um profissional.

 “ Não considere nenhuma prática como imutável. Mude e esteja pronto a mudar novamente. Experimente”.

B.F.Skinner.
Author: Adriana FernandesWebsite: http://adrianafernandes.com.br
Psicóloga.CRP 04/39812 Apaixonada por livros. Nas horas vagas escrevo poesia.

Topo