MundoZ! Portal de Conteúdo.

Carros

Quais são os documentos para fazer seguro de carro

Como as seguradoras determinam o preço do seguro e como você pode obter um desconto na apólice.
Tempo de leitura: 6 minutos
Quais são os documentos para fazer seguro de carro

Existem etapas que você deve seguir quando for contratar um seguro de automóvel - que neste artigo vamos de chamar de 'seguro auto' -, sendo que algumas delas são muito importantes a ponto de influenciar até mesmo no preço da apólice de seguro.

Essas etapas compreendem:

- Cotação de preços do seguro;
- Avaliação da proposta;
- Vistoria do automóvel e, por fim, a entrega da documentação.

Etapas para a contratação de um seguro auto, veremos cada uma delas agora.

 

1- Cotação de preços do seguro auto

Obter a cotação do seguro é uma das etapas mais importantes na da contratação do seguro auto. É justamente esse levantamento de preços que pode garantir que você identifique as melhores propostas de coberturas e os melhores preços.

Como receber a indenização do seguro em caso de perda total de carro financiado
-
 Cotação de seguro auto. Quais são os tipos de seguro de carro

Nesta fase as seguradoras fazem a coleta de dados do automóvel e do proprietário, na sequência, a empresa fará a simulação de preços de acordo com o tipo de seguro que o cliente escolheu.

Duas coisas influenciam muito nessa fase: o estilo e estado de conservação do veículo e o perfil do motorista. Essas informações determinam o preço final do seguro auto.

No quesito 'estilo e estado de conservação do veículo', quanto maior a probabilidade de haver um sinistro envolvendo o veículo, mais alto será o preço da apólice de seguro. E é aqui que entra o procedimento de vistoria do carro feito pela seguradoras.

 

2- Vistoria do carro

As seguradoras são muito meticulosas nessa parte, elas precisam saber exatamente o que estarão protegendo após a venda da apólice de seguro.

As empresas avaliam a situação mecânica do carro, seu estado de conservação geral, além do 'aspecto visual' do automóvel. Com esses dados em mãos é muito mais fácil para a seguradora determinar a probabilidade de que o veículo se envolva num sinistro. E dessa forma é determinado o preço total do seguro, além de indicar algumas coberturas adicionais que serão ofertadas ao segurado.

 

Como é feita a vistoria do carro?

O procedimento de vistoria auxilia a seguradora na verificação dos dados fornecidos pelo cliente, sendo uma das etapas mais importantes durante a contratação do seguro. Na vistoria é avaliado o estado de conservação geral do carro e também a situação legal do automóvel.

Na verificação sobre a 'situação legal' é realizada uma pesquisa sobre a procedência do veículo, além de verificar se o automóvel não tem nenhuma pendência. O procedimento de vistoria é feito em locais autorizados para tal (postos credenciados), sendo que isso depende de cada seguradora.

Como o objetivo principal do procedimento de vistoria é analisar o estado geral de conservação do veículo, além de verificar a documentação, e se certificar quanto à procedência do veículo, os automóveis zero quilômetro estão isentos de vistoria.

E para carros usados, no que diz respeito ao passado do veículo, são analisados a numeração do chassi e a pintura. Sendo que a vistoria na pintura objetiva atestar se o veículo já esteve envolvido em algum sinistro.

Seguro de carro usado: Como funciona?
Seguro para carro financiado: Como funciona?

Importante saber que o procedimento de vistoria pode ser exigido pelas seguradoras para a renovação da apólice e em caso de o proprietário do carro trocar de seguradora, via de regra, a nova empresa exigirá uma nova vistoria no veículo.

Dessa forma, a seguradora pode descobrir se existem avarias visíveis, além de verificar o estado dos equipamentos de segurança do carro, e ainda saber quais são os acessórios que acompanham o veículo.

Ainda durante o processo de vistoria é verificado se o automóvel possui alguma modificação, isso porquê, a depender das modificações encontradas a seguradora poderá aceitar ou não, segurar o veículo.

E mesmo que não haja modificações importantes, é bom saber que o simples fato de o veículos ter passado pelo procedimento de vistoria não garante que a seguradora de fato irá aceitar fazer a apólice do seguro.

Então, a finalidade da vistoria é para que a seguradora avalie se é interessante assegurar o veículo e o condutor. Mas não é só isso que vai determinar se a seguradora aceitará o pedido de seguro, pois, ainda existem outros fatores que influenciam nisso.

O resultado do procedimento de vistoria é a emissão de um 'laudo de vistoria veicular', emitido pelo agente vistoriador credenciado, contendo o histórico e as condições atuais do veículo.

 

3- Avaliação de proposta de seguro

Não há nada que obrigue uma seguradora a aceitar uma solicitação de seguro. Depois de avaliar o perfil do cliente e fazer a vistoria no veículo, a seguradora ainda pode negar a apólice de seguro. E a decisão de aceitar ou não, é tomada após a análise da proposta.

Se a solicitação for aprovada, o cliente vai para a próxima etapa que veremos em seguida: assinatura do contrato. Caso contrário, deve recomeçar todo o processo em outras seguradoras.

Em certos casos o cliente tem a opção de poder ajustar o fator que resultou na recusa da seguradora, e fazer a solicitação de nova avaliação por parte da mesma corretora de seguros.

Características e situação do veículo que podem resultar na recusa por parte da seguradora:

Pode até parecer estranho, mas de fato existem muitos motivos que fazem com que as seguradoras não aceitem fazer o seguro de um determinado veículo.

- Veículos muito antigos ou aqueles que já deixaram de ser fabricados tem grande probabilidade de serem recusados, e cada empresa de seguros tem suas próprias regras sobre isso. Sendo que em caso dos veículos mais antigos, o grande problema é que apresentam uma maior probabilidade de terem problemas mecânicos, o que resultaria em acionamento da apólice do seguro.

Nos dois casos, é fato que deve ser muito mais difícil de se encontrar peças de reposição, o acaba deixando o conserto ainda mais caro, e este é um outro fator de recusa.

- Veículos importados e de luxo também se encontram nessa mesma situação, o alto preço das peças de reposição em caso de sinistro acaba 'assustando' as seguradoras.

- Carros modificados (como os rebaixados, por exemplo), também encontram mais dificuldades para serem aceitos pelas seguradoras. Então, esses veículos têm mais chances de serem aceitos se estiverem devidamente legalizados segundo as normas do Conselho Nacional de Trânsito.

- A instalação de alguns acessórios, tais como som automotivo, rodas com tamanhos diferentes das originais também devem ser comunicados à seguradora.

- O perfil do motorista também é muito importante. O perfil do condutor é um fator preponderante na avaliação das seguradoras, ainda que o veículo esteja em perfeito estado, dentro das normas legais, se o condutor não contar com uma boa reputação a seguradora pode recusar o contrato de seguro.

As características do condutor com maior peso na avaliação da seguradora são: histórico de sinistros e o histórico de inadimplência. Ter restrições junto ao SPC e SERASA pode custar resultar numa recusa por parte da seguradora.

E isso não é tudo. O condutor também não deve estar com a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) suspensa, além de não estar respondendo, ou já ter respondido à nenhum processo por dirigir embriagado.

 

4- Assinatura do contrato de seguro auto

A última etapa é a da assinatura do contrato de seguro, onde o cliente recebe o seguro pelo período de 12 meses. Ao final deste prazo, é preciso fazer a renovação da apólice de seguro junto à seguradora.

 

Documentos necessários para fazer o seguro do carro.

Após a aprovação da proposta por parte da seguradora, a empresa vai informar ao cliente qual a relação de documentos para fazer o seguro auto.

Ainda, é necessário requisitar a Nota Fiscal ou a confirmação de renovação do seguro, além de se fazer o pagamento da primeira parcela dentro do prazo de vencimento informado pela seguradora.

Os principais documentos solicitados na hora de contratar um seguro veicular são:

- Documentação pessoal: RG, CPF e Carteira Nacional de Habilitação (CNH), ou somente a CNH, caso conste neste documento a numeração do RG e CPF do cliente;

- Documentação do veículo: Certificado de Registro do Veículo (CRV) e Certificado de Registro e Licenciamento do veículo (CRLV).

Carros novos

Em caso de veículo zero quilômetro, ainda é preciso apresentar a Nota Fiscal de compra, contendo a data de saída da NF e o carimbo da concessionária.

Carros importados

E em caso de veículo importado, é necessário apresentar a quarta via da 'declaração de importação' do veículo.

Carros usados

Para carro usado, deve-se apresentar somente os documentos pessoais e do veículo. Importante ressaltar que essas regras podem sofrer alterações de acordo com cada seguradora.

Então, tão logo receba a proposta da seguradora, já providencie cópias autenticadas de todos os documentos.

 

Para renovação do seguro auto.

Se você estiver fazendo a renovação do seguro auto, será necessário apresentar um documento adicional: a apólice do seguro anterior. Importante mencionar que, mesmo que já exista um seguro, a renovação da apólice não é automática.

Depois do término do período do contrato, o cliente deverá comunicar a seguradora sobre sua intenção de fazer um novo seguro.

A seguradora então, fará novamente, todas as etapas de análise da proposta e da documentação. A empresa tem até 15 dias para concluir o processo de análise. Sendo que, ainda existe a possibilidade de a seguradora recusar a renovação do seguro, pelos motivos que já mencionamos. Além disso, uma nova vistoria também não está descartada.

Depois disso tudo, a apólice de seguro é repassada ao cliente, o que comprova o início da vigência da nova apólice de seguro. Uma coisa importante: Quando receber o novo contrato, leia novamente, isso é importante, pois, sempre existe a possibilidade de as regras terem sofrido alterações.

Nessa etapa, é comum haver um prazo de alguns dias úteis ou dias corridos para que você faça o pagamento da primeira parcela da nova apólice do seguro.

Outra coisa muito importante é não deixar para fazer a renovação do seguro em cima do prazo, e jamais após o vencimento, porquê a cada dia que passa sem um seguro ativo é um risco a mais que você e sua família estão correndo. Então, se você providenciar a renovação com antecedência, terá mais tempo para fazer uma nova cotação de preços com outras seguradoras se for o caso.

 

Cuidados ao contratar um seguro auto.

Antes de você remeter todos os seus dados para fazer uma cotação de seguro auto, existem certos cuidados que precisam ser observados na hora de contratar uma apólice de seguro. Começando pela atenção com as cláusulas do contrato.

A primeira coisa a fazer é verificar se a cobertura escolhida realmente garante toda a segurança necessária para o veículo.

Além disso, é importante fazer constar no contrato o nome dos familiares que também utilizem o veículo, como condutores, ainda que de forma esporádica. Dessa forma essas pessoas também ficarão amparadas, em caso de ocorrer um sinistro envolvendo o automóvel. Estas pessoas são consideradas como 'condutores secundários', na apólice de seguro.

 

Cuidados com o contrato do seguro.

Somente assine o contrato do seguro se estiver certo sobre todas as cláusulas, se houver dúvida, questione o seu corretor té que todas as dúvidas sejam sanadas. Ainda é importante não assinar o contrato antes de verificar a situação cadastral da seguradora na SUSEP (Superintendência de Seguros Privados), o órgão responsável pela regulamentação desse setor no Brasil.

Sondar a reputação da empresa também é aconselhável, e isso você consegue pesquisando sobre a seguradora na página da empresa nas redes sociais e no site ReclameAqui, por exemplo.

 

A primeira oferta talvez não seja tão vantajosa para você.

Quando tiver a primeira interação com a seguradora, eles vão apresentar uma série de benefícios para a proteção do seu veículo. Mas, não se entusiasme de mais nessa fase.

Procure analisar detidamente o que a cobertura que está sendo oferecida realmente tem de valor para você, e se certifique se todas aquelas 'proteções' realmente são necessárias para o seu caso.

Com esses cuidados você evita pagar mais caro, adquirindo modalidades de proteção que não são adequadas para o seu perfil.

Um rastreador veicular também é uma boa estratégia juntamente com o seguro auto. Isso porquê este equipamento acaba aumentando a segurança do veículo, além de reduzir o preço da apólice e também da franquia do seguro.

Veja também

Como receber a indenização do seguro em caso de perda total de carro financiado

...

MundoZ! Carros & Motos
Author: MundoZ! Carros & Motos
Se você gostou do nosso artigo curta, compartilhe com seus amigos. Isso nos ajuda a continuar criando matérias interessantes e conteúdos incríveis para nossos leitores.

RELACIONADOS

Novo Aston Martin Vantage V12 RS, um lançamento incrível

O Vantage totalmente modificado deverá brigar pelo mercado do Porsche 911 Turbo S.
Tempo de leitura: 5 minutos
Carros

Carros

Vai trocar de carro

Vai trocar de carro? Veja as nossas dicas para se dar bem

Descubra como conseguir os melhores preços na hora de comprar seu carro novo ou semi-novo.
Tempo de leitura: 5 minutos.
Carros

Carros

Ford Super Duty

Impressionante: pick-up derrete ao ser atingida por raio

O que acontece quando seu carro é atingido por uma descarga de 300 milhões do volts?
Tempo de leitura: 5 minutos
Carros

Carros

 Jeep Commander

Jeep Commander é lançado em 4 versões veja preço e detalhes do modelo

Jeep Commander, é o terceiro modelo da marca que será vendido por aqui, e que pretende liderar o segmento das SUVs grandes.
Carros