MundoZ! Portal de Conteúdo.

Carros

Os principais tipos de 'seguro auto'

Em 2019, apenas nas rodovias federais ocorreram mais de 67 mil acidentes. E no Brasil ocorre 1 roubo ou furto de carro por minuto.

O Brasil é um dos países com os maiores índices de acidentes de trânsito. E num cenário desses, sair dirigindo sem poder contar uma apólice de seguros que ofereça o mínimo de segurança caso o pior aconteça, é a 'tática da esperança' e decididamente não é a melhor escolha. Nesta matéria elaboramos uma lista com os principais tipos de seguro para automóveis disponíveis no mercado brasileiro, que vamos chamar de 'seguro auto'.

Os perigos de não ter um seguro auto

Qualquer pessoa está sujeita a sofrer um acidente de carro, além de que as chances de ter seu veículo roubado aumenta todos os dias. Só para você ter uma ideia, somente no ano de 2019, apenas nas rodovias federais ocorreram mais de 67 mil acidentes. E no Brasil ocorre 1 roubo ou furto de carro por minuto. Ainda assim, 70% dos veículos que circulam no país não têm seguro auto.

- Seguro para carro financiado: Como funciona?
- Seguro de carro usado: Como funciona?
- Cotação de seguro auto. Quais são os tipos de seguro de carro

Estes são casos em que os proprietários sofrerão grandes prejuízos em caso de sinistro e, ao mesmo tempo, vão gerar muitos prejuízos à terceiros. No fim das contas, esses proprietários acabam tendo que arcar sozinhos com todos os custos decorrentes de um imprevisto, e nem precisamos mencionar que um evento como este tem o potencial de desorganizar toda a situação financeira de uma família. Automóveis não são bens de consumo baratos, e sem dúvida, se você puder contar com a proteção de um seguro auto que garanta indenizações em caso de sinistro é um tremendo alívio.

Vamos listar quais são os principais tipos de seguro de automóveis disponíveis no mercado hoje, além de algumas dicas importantes sobre como escolher o melhor seguro para o seu perfil.

Os principais tipos de seguro auto

As modalidades de seguro auto existente no mercado não costumam ter grandes diferenças entre as seguradoras. A grosso modo, essas empresas oferecem as mesmas modalidades de cobertura, com pequenos serviços e detalhes que os diferenciam.

Quando for fazer a contratação do seguro auto, você deve avaliar a cobertura que a seguradora está oferecendo. É interessante que você tente contratar uma apólice com todas as proteções mais necessárias, e deixar de fora somente as opções que cubram aquelas situações pelas quais você dificilmente vai passar.

Um exemplo: se na cidade onde você mora não ocorrem enchentes, uma cobertura para esse tipo de sinistro é totalmente desnecessária na sua apólice de seguro. Mas de qualquer forma, perceba que é muito mais barato contratar uma apólice de seguro auto, do que ter que arcar sozinho com todos os prejuízos de um eventual sinistro.

E é por isso, que acaba valendo a pena contratar uma apólice de seguro com o maior número de coberturas possível. E aqui temos os tipos de seguro auto?

1- Apólice de seguro contra furto ou roubo;
2- Apólice de seguro de cobertura básica;
3- Apólice de seguro compreensivo;
4- Apólice de seguro para terceiros;
5- Apólice de seguro para acidentes de passageiros;
6- Coberturas adicionais no seguro.

Os principais tipos de 'seguro auto' disponíveis no mercado

 

1. Apólice de seguro contra furto ou roubo


Uma das modalidades mais simples que é oferecida pelas seguradoras é a apólice de seguro contra furto ou roubo. Este tipo de apólice de seguro visa cobrir prejuízos somente nessas situações, sendo que normalmente, o segurado vai receber o valor da indenização integral, segundo o valor do veículo apresentado na tabela FIPE.

Além disso, ainda pode ser que a indenização corresponda a um valor que foi preestabelecido no contrato da apólice. Por ser a modalidade de seguro mais simples existente no mercado, também acaba sendo a mais barata oferecida pelas seguradoras. Lembrando que, o segurado somente receberá a indenização desse tipo de seguro se o veículo não for encontrado. Ou, se, após ter sido recuperado, o veículo estiver tão danificado a ponto de ser declarado como 'perda total'.

Perda total ocorre quando os danos sofridos pelo veículo resultam num custo maior do que 75% do valor de mercado do automóvel, segundo a tabela FIPE. Qualquer coisa além dessas situações, não serão cobertas pela seguradora, nem mesmo se o automóvel for recuperado e precisar de apenas  alguns pequenos consertos.

A boa notícia é que algumas seguradoras oferecem outras coberturas nessa modalidade de seguro. Dessa forma, vale a pena solicitar à seguradora mais informações sobre as demais coberturas que oferece na modalidade que você está contratando.



2. Apólice de seguro de cobertura básica


Essa modalidade de seguro tem preço mais alto do que o seguro contra furto ou roubo, e também oferece uma cobertura maior. Sendo que a indenização é paga não apenas no caso de roubo ou furto do veículo, mas também em outras situações como colisões, explosões, acidentes naturais, incêndios, raios e enchentes.


Podemos partir de uma modalidade de seguro básico, onde são considerados duas modalidades de perda: parcial ou total.

 

Seguro - Perda parcial


Uma perda parcial ocorre quando os danos causados ao veículo são inferiores a 75% do valor do automóvel (na avaliação da Fipe). Nesta situação, a seguradora vai arcar com uma parte do conserto do carro, sendo que fica ao encargo do segurado pagar o restante do valor. E neste caso, a franquia do seguro é a parte que fica sob a responsabilidade do segurado.

O valor da franquia deve estar predeterminado na apólice do seguro. Por exemplo: seu automóvel sofre um dano de R$ 10.000, e sua franquia custa R$ 2.500. Isso quer dizer que o segurado deve pagar R$ 2.500 para a oficina mecânica. Enquanto que a seguradora deverá quitar os R$ 7.500 restantes.

Seguro - Perda total


O caso de perda total, ocorre quando o veículo sofre danos superiores a 75% do seu valor de mercado (estipulado na tabela Fipe). Isso deve resultar numa indenização integral por parte da seguradora, para que o segurado possa comprar um novo veículo.

Uma indenização integral também é paga ao segurado quando o veículo é roubado ou furtado, e não é recuperado. Essa é a modalidade de seguro de automóvel mais contrata do mercado.

3. Apólice de seguro - Seguro compreensivo


Modalidade também chamada de 'cobertura completa', o 'seguro compreensivo' é o pacote mais abrangente e o mais vendido pelas seguradoras no Brasil. O 'seguro compreensivo' visa cobrir uma gama maior de sinistros, além das que já mencionamos.

O 'seguro compreensivo' traz serviços como: assistência 24 horas, que também oferece socorro a pane seca, serviço de guincho, mecânica ou elétrica, chaveiro e muito mais.

Esse pacote de proteção ainda tem cobertura para:

- Colisão, capotamento ou derrapagem;
- Veículo atingido por objeto;
- Inundação e Alagamento;
- Evento de raio, além de outros serviços que podem ser oferecidos por cada seguradora.

4. Apólice de seguro - Seguro para terceiros


Essa modalidade cobre danos causados pelo segurado a outras pessoas. Funcionando da seguinte forma: caso o segurado se envolva numa colisão ou acidente com seu carro, onde ele tenha provocado o sinistro, ele deverá assumir a responsabilidade. Na sequência, a empresa seguradora deverá arcar com todas as despesas da pessoa que sofreu algum tipo de prejuízo - moral, físico ou judicial (custas processuais) - causado pelo segurado.

Sendo que como essa modalidade de seguro visa cobrir somente uma situação, seu preço costuma ser menor, semelhante ao seguro contra furto ou roubo. O seguro para terceiros ainda pode ser associado ao seguro básico ou seguro compreensivo.

Dessa forma, esses dois pacotes de serviços atenderão não somente o automóvel do segurado, mas também as pessoas que por ventura venham a se envolver em sinistro causado pelo segurado. Esta é uma das modalidades de seguro mais interessante para se contratar.

5. Apólice de seguro - Seguro para acidentes de passageiros


O seguro para Acidentes Pessoais de Passageiros (APP) é indicado para queles que atuam no segmento de transporte de passageiros, como taxistas, motoristas de aplicativo ou de vans. É uma imposição legal que essas pessoas tenham uma apólice de seguros para passageiros.

Ainda vale frisar que esse pacote de seguro cobre somente os danos sofridos pelos passageiros do veículo segurado, e não os danos causados ao veículo. Então, para se ter cobertura completa, incluindo o veículo, é interessante associar a cobertura APP a um pacote de seguro básico ou compreensivo. Lembrando que qualquer proprietário de automóvel pode fazer a contratação desse tipo de seguro, não só os profissionais e empresas do segmento de transporte de passageiros.

6. Apólice de seguro - Coberturas adicionais do seguro


Além de todas as modalidades de seguros e coberturas que já mencionamos, dentre todos os tipos de seguro auto, ainda existem diversas outras opções no mercado de seguros. As chamadas 'coberturas adicionais', que visam proteger o veículo em situações mais específicas.

Esses tipos de proteção podem ser acopladas a qualquer uma das modalidades que já citamos, resultando num pacote de seguros ainda mais completo e totalmente personalizado.

Dentre os adicionais de seguro, ainda temos:


- Cobertura para acessórios do veículo, como o som automotivo;
- Cobertura para kit gás;
- Carro de reserva;
- Cobertura de vidros e faróis;
- Proteção para o teto solar;
- Proteção de carroceria;
- Diárias em hotel (em caso de o veículo sofrer pane fora da cidade do segurado);
- Lucros cessantes (indicado para taxistas, que poderão receber ressarcimento pelo tempo em que o veículo esteve no conserto);
- Seguro da blindagem do veículo;
- Seguro de extensão de perímetro;
- Carta Verde (seguro do carro nos países da América Latina).

Porque é tão importante contratar o seguro auto?


O seguro é uma modalidade de serviços onde uma empresa terceirizada acaba assumindo todos os riscos e, por consequência, todas as despesas de possíveis problemas que possam acontecer. Então, ter uma apólice de seguro vai oferecer a proteção em caso de gastos não previstos, e isso independe do tipo de seguro auto contratado. Essas despesas não previstas, geralmente são muito altas, especialmente se acontecer perda total do veículo.

Levando em consideração todos os tipos de seguro auto disponíveis no mercado brasileiro, não é tarefa muito complicada contratar uma cobertura que possa atender a todas as suas eventuais demandas. Dessa maneira, depois de um sinistro, você poderá contar com o auxílio da seguradora para resolver a situação.

Mas como você pode fazer a contratação certa dentre os principais tipos de seguros que temos disponíveis?

Tipos de seguro auto


A maneira mais simples de contratar a melhor cobertura de seguro, segundo o seu perfil, é entrando em contado com um corretor de seguros, este profissional tem grande facilidade em entender suas necessidades e indicar as coberturas mais adequadas e as melhores seguradoras. Além disso, ele ainda poderá encontrar os melhores preços do mercado, fazendo cotações de preço.

Mas ainda assim, existem alguns detalhes aos quais o contratante deve se ater antes de contratar a melhor apólice de seguro:

- Avalie o valor e o ano de fabricação do seu veículo. Pois, quanto mais antigo for, menores serão as chances de ser aceito por alguma seguradora. E neste caso, será preciso pesquisar um pouco mais para encontrar uma seguradora;

- Também é bom conhecer, de antemão, os principais riscos aos quais seu veículo pode estar exposto na região onde você reside, trabalha ou visita regularmente;

- Dê uma atenção especial ao preço da franquia. Quanto mais alto, menor será o preço do seguro, e vice-versa. Franquia cara, seguro mais barato. O preço da franquia pode ser negociado junto à seguradora durante a contratação da apólice.

Vejamos como escolher uma boa seguradora

Depois que você escolheu a modalidade de seguro que mais se adapta as suas necessidades, é hora de definir a seguradora que com a qual vai trabalhar. E o primeiro passo nesta etapa é fazer uma pesquisa sobre a reputação da empresa. Para isso basta dar uma olhada na página do Facebook da empresa e também no site do ReclameAqui, veja se existem muitas reclamações por parte dos clientes, tanto no Facebook quanto no ReclameAqui, e veja como a empresa trata cada umas reclamações.

Tente verificar se os clientes estão sendo deixados no 'vácuo', sem respostas, ou se cada demanda deles é respondida em tempo razoável pela empresa. Além disso, tente conversar com alguns clientes, veja qual o feedBack deles.

Na sequência procure saber se a seguradora oferece um pacote de seguros que de fato atenda as suas demandas, dentre as modalidades de seguros disponíveis no mercado.

Depois de ter feito essa pesquisa, é aconselhável verificar a situação da seguradora junto ao site da Susep, a Superintendência de Seguros Privados. Isso é importante, pois, somente empresas autorizadas por este órgão tem autorização para atuar na venda de seguros no Brasil.

E finalmente, procure fazer uma comparação do preço dos pacotes de seguros ofertados por essa seguradora com os tipos de seguro auto oferecidos no mercado. E se você constatar que o preço está muito elevado, considere refazer sua pesquisa com outras seguradoras. Isso é importante, uma vez que o objetivo é ter uma boa proteção, com preços que caibam no orçamento.

Quanto custa um seguro auto?


O processo de contratação do seguro auto, resulta quase sempre numa grande variação de preços e tipos de seguro para veículos. E isso se deve ao fato, de as seguradoras considerarem uma gama de fatores, tais como: o tipo de clientes que a seguradora quer atender, o modelo do automóvel, o perfil do motorista, além de outras particularidades estipuladas por cada empresa. Além disso, tudo as seguradoras ainda elaboram uma análise de risco do veículo.

Essas empresas fazem uma avaliação dos riscos que existem de o automóvel sofrer um sinistro. E quanto maiores as probabilidades disso ocorrer, a tendência é que o preço do seguro aumente, daí a importância de se manter a manutenção do veículo em dia.

Diante disso, existem clientes que simplesmente mentem para as seguradoras. Um bom exemplo disso são os jovens que acabam pagando mais caro pela apólice do seguro, e isso decorre do fato de terem menos experiência de direção (menos experiência no trânsito). Muitos acabam contratando o seguro no nome de seus pais. Simplesmente porque os pais têm maior experiência, o que incorre num preço menor do seguro auto. Esse “jeitinho” pode até gerar economia, num primeiro momento.

Mas isso equivale a 'fazer a coisa pela metade', se apegando à esperança de que nada de ruim vai acontecer. E convenhamos que 'esperança' não é a melhor tática.

O problema acontece, quando, em caso de sinistro, a seguradora verifique as informações fornecidas e perceba que elas não correspondem à realidade. Nesse momento, quando identificam que condutor principal do automóvel era jovem, e não a pessoa mais experiente que fez a contratação da apólice, muitas seguradoras acabam não fazendo o pagamento da indenização.

O resultado dessa 'estratégia falha' é que o próprio contratante terá que arcar sozinho com os prejuízos no veículo e talvez, também com os danos causados a terceiros. Além de correr o risco de ser acionado judicialmente pela empresa seguradora. Então, procure fornecer as informações reais para a seguradora.

O Seguro DPVAT e rastreadores


Um item que gera muitas dúvidas nos proprietários de veículos é o seguro DPVAT. Apesar de ser obrigatório, a verdade é que esse seguro pouco tem a ver com o veículo. Sua finalidade é apenas de indenizar vítimas de acidentes de trânsito, nos casos em que resulte em invalidez permanente ou morte, além de ressarcimento das despesas médicas.

O DPVAT deve ser pago todos os anos juntamente com o IPVA, sendo que somente após a quitação dessas taxas será feita a emissão do licenciamento do automóvel. Então, mesmo que você já tenha pago o seguro DPVAT, isso não acaba com a necessidade da aquisição de um seguro auto.

Somente com a proteção de um bom seguro você poderá contar com auxílio em caso de sinistro. A mesma ideia se aplica a um rastreador: esse tipo de equipamento é muito eficiente, mas não elimina a necessidade da contratação do seguro auto.

Isso porque, se o veículo for roubado, será recuperado com mais rapidez, mas os danos causados não serão ressarcidos pela empresa fornecedora do rastreador ou responsável pelo serviço de monitoramento de frotas. Um rastreador é apenas o dispositivo que fornece a localização do veículo onde está instalado, facilitando o trabalho da polícia para encontrar o veículo.

Lembrando ainda que em caso de haver um rastreador instalado no veículo, o preço do seguro costuma ser menor. Isso porquê, o equipamento reduz os riscos de sinistro ou mesmo, de perda total do veículo.

E para finalizar, ter a assessoria de bom corretor de seguros pode facilitar no processo de contratação, além de garantir preços mais baixos. Frisando que na hora de escolher um entre todos os tipos de seguro auto do mercado, é aconselhável levar em consideração suas necessidades e os riscos no seu dia a dia. Dessa forma, você vai ter a certeza de contar com auxílio da seguradora em caso de sinistro.

Veja também: Como receber a indenização do seguro em caso de perda total de carro financiado

...

MundoZ! Carros & Motos
Author: MundoZ! Carros & Motos
Se você gostou do nosso artigo curta, compartilhe com seus amigos. Isso nos ajuda a continuar criando matérias interessantes e conteúdos incríveis para nossos leitores.

RELACIONADOS

159 mil automóveis Tesla podem apresentar falhas por causa de 'memórias gastas'

Mesmo se receberem correções, os carros com chips ainda podem apresentar problemas no futuro.
Tempo de leitura: 5 minutos.
Carros

Carros

Honda Civic Type R 2022
Honda Civic Type R 2022 na cor azul.

Honda Civic Type R 2022

Tudo o que sabemos sobre a 11ª geração do modelo.
Carros

Carros

Vai trocar de carro

Vai trocar de carro? Veja as nossas dicas para se dar bem

Descubra como conseguir os melhores preços na hora de comprar seu carro novo ou semi-novo.
Tempo de leitura: 5 minutos.
Carros