Vida e Saúde

Os perigos da superproteção

A Superproteção nos fala de uma proteção exagerada. Uma redoma que impede a criança de experimentar, cometer erros e aprender com eles.
Tempo de leitura: 3 minutos

O que é superproteção? Como os pais podem saber se estão superprotegendo seus filhos? Quais são os perigos da superproteção?

 A proteção é uma atitude natural dos pais, afinal todo pai ou mãe que ama seu filho, irá fazer de tudo para que o mesmo se sinta protegido.

Toda criança necessita da proteção dos seus cuidadores, principalmente na infância, um período em que a mesma está em constante desenvolvimento.

Por estar em fase de desenvolvimento, a criança, à medida que vai crescendo, vai tendo outras necessidades que, irão exigir cada vez mais, um maior desenvolvimento de sua autonomia.

Uma criança que não tem oportunidade de desenvolver sua autonomia ainda na infância e adolescência, poderá enfrentar dificuldades na fase adulta, quando tiver que lidar com as adversidades da vida.

  A superproteção  caminha no sentido oposto à autonomia

A superproteção nos fala de  uma proteção exagerada. Uma redoma que impede a criança de experimentar, cometer erros e aprender com eles.

A autonomia por sua vez, é uma porta para o aprendizado,independência e desenvolvimento da autoconfiança.

Vejo a superproteção como sentimento de medo e insegurança por parte dos pais, sendo que,  muitas vezes, esse medo é inconsciente ou ate´mesmo confundido com um ato de amor e proteção pela criança.

 Os perigos da superproteção

Quais são os perigos da superproteção? Abaixo listamos algumas das consequências da superproteção na vida da criança.

 *Medo de enfrentar situações novas;

*Dificuldade em lidar com a frustração;

*Dependência emocional;

*Baixa-Autoestima;

*Dificuldade em lidar com responsabilidades;

*Insegurança;

*Dificuldade em lidar com responsabilidades;

*Entre outras.

Estimule a autonomia do seu filho

Os pais, ao estimular a autonomia dos pequenos, permitindo que aos poucos, as crianças realizem tarefas que já têm condições de fazer, estão contribuindo de forma positiva para o seu desenvolvimento físico, social e emocional.

A melhor maneira dos pais estarem atentos a questão da superproteção é sempre questionar a forma como estão ajudando seus filhos nesse processo  de desenvolvimento da autonomia, não se esquecendo da necessidade de abrirem espaço para que a criança realize atividades que ela já dê conta de fazer.

 A superproteção atrofia o crescimento da criança, por outro lado, a autonomia lhe permite um crescimento saudável físico e emocional.

Author: Adriana FernandesWebsite: http://adrianafernandes.com.br
Psicóloga.CRP 04/39812 Apaixonada por livros. Nas horas vagas escrevo poesia.

Gostou desse artigo? Compartilhe com seus amigos.

Topo