• Pesquisar
  • Abrir menu

O que investidores precisam saber sobre DeFi

As finanças descentralizadas podem gerar retornos elevados, mas você vai precisar assumir alguns riscos.
Tempo de leitura: 4 minutos
Mulher loira jovem segurando uma moeda de bitcoin em frente ao rosto

As palavras "finanças descentralizadas" ou "DeFi" são muito usadas hoje em dia, especialmente se você gosta de investir em criptomoedas. Mas o que é exatamente DeFi e o que os investidores em criptomoedas precisam saber para lucrar nesse mercado?

O que é DeFi?


Finanças descentralizadas é um termo amplo que abrange uma série de atividades que eliminam os intermediários dos serviços financeiros tradicionais, como os bancos. Incluem empréstimos, aplicações que rendem juros, transferências de dinheiro, seguros e, claro, negociação de criptomoedas

Por exemplo, eu lhe emprestaria 100 dólares em Bitcoin (BTC) via DeFi e, então, ganharia juros sobre o empréstimo - sem envolver um intermediário convencional.

Quando o Bitcoin foi lançado, uma das coisas mais incríveis sobre ele era sua natureza descentralizada. Anteriormente, o dinheiro exigia a intermediação de terceiros - seja um banco ou um governo - para validar as transações e garantir os pagamentos. 

E a tecnologia blockchain que dá suporte ao Bitcoin é o que permite ao setor financeiro descentralizado eliminar os intermediários.

Isso pode reduzir custos e eliminar toda aquela papelada, além de acelerar as transações. No exemplo que mencionamos, você não precisaria de uma pontuação de crédito – o famigerado SCORE– para se qualificar para o empréstimo,  embora devesse oferecer alguma criptomoeda como garantia. Mas, como nada é perfeito e como veremos na sequência, os ativos DeFi também trazem alguns riscos consigo.

E aqui temos uma listinha com quatro coisas importantes que os investidores devem entender sobre DeFi.

1- O mercado DeFi está crescendo no mundo todo

O setor financeiro descentralizado tem crescido muito, juntamente com o aumento do interesse dos investidores em criptomoedas. De fato, de acordo com o site de análises e classificações DeFi Pulse, há cerca de 90 bilhões de dólares investidos em DeFi neste momento, no mundo todo. O DeFi Pulse rastreia o Valor Total Bloqueado (TVL), que representa o valor depositado em vários ativos DeFi, e é um bom indicador da escala do mercado. 

Muitos ativos DeFi são construídos na rede Ethereum (ETH), o que equivale dizer que o preço do Ethereum ainda impacta a TVL em virtude da quantidade de dinheiro que está investido em DeFi.

No fim de 2019, a TVL estava em torno de 8,5 bilhões de dólares e, no final de 2020, já havia alcançado cerca de 25 bilhões de dólares. Há uma chance excelente de chegar a 100 bilhões de dólares no início deste ano (2022).

2 - O mercado de ativos DeFi não oferece proteção como aquelas dos bancos tradicionais

As proteções que os investidores têm em investimentos tradicionais podem não existir nas finanças descentralizadas (DeFi). Então, é vital se perguntar o que pode acontecer se algo der errado, porque você não terá nenhum mecanismo legal de segurança que garanta o seu investimento.

Por exemplo, se um banco convencional quebrar, o FGC (Fundo Garantidor de Crédito) vai garantir até R$ 250.000 por CPF. A maioria dos investidores não pensa muito nisso porque o banco onde eles têm conta ou a corretora pela qual investem não parece estar com problemas. Mas existe sim muito mais chance de uma plataforma de finanças descentralizadas quebrar - e você não tem proteção alguma se isso acontecer.

Abaixo temos outros fatores que devem ser considerados antes de você começar a investir em ativos DeFi:

Onde seus ativos estão armazenados  

Procure plataformas que mantenham a maior parte dos ativos offline no que é chamado de armazenamento frio (carteiras frias) - e veja se elas têm ou não seguro contra hackers, ou outros crimes. Auditorias de terceiros e outras medidas de segurança, como programas de recompensa por bugs (defeitos no código), também são um bom diferencial.

Como seus ativos serão usados

Algumas plataformas DeFi prometem pagar altas taxas de juros sobre as criptomoedas que você depositar. Muitas vezes, elas tentam fazer isso emprestando seus fundos a terceiros e pagando uma parte dos juros que os tomadores dos empréstimos pagam a eles. A transparência é vital nesse negócio, pois, você precisa saber a quem eles estão emprestando os seus fundos e a forma como esses empréstimos são recuperados.

Riscos técnicos

A desvantagem de se eliminar os intermediários é que você pode estar substituindo um banco sólido e confiável por apenas algumas linhas de código. Tudo bem, se o código for confiável, mas, se não for, você poderá ter problemas graves. 

Então, procure projetos de código aberto para que qualquer pessoa possa visualizar o código e verificar se há bugs (defeitos). Pode parecer contra intuitivo, mas se o código é acessível a qualquer pessoa, será mais provável que, dentre os milhares de pessoas que vasculhem aquele código, alguém ache um bug e reporte isso aos desenvolvedores, que assim poderão consertar o problema antes que o pior aconteça. Além disso, procure ter cuidado com projetos muito recentes e que ainda não foram suficientemente testados.

Golpes

De acordo com o CipherTrace, 471 milhões de dólares já haviam sido roubados através de fraudes e ataques de hackers até agosto de 2021 – um valor consideravelmente maior do que nos anos anteriores. 

E, uma vez que as criptomoedas sejam roubadas, será muito difícil recuperá-las. 

Então, pesquise os ativos DeFi com cuidado antes de depositar seu dinheiro. Dê atenção especial às análises online e em fóruns de criptomoedas, nesse locais você vai poder encontrar os principais indícios de problemas potenciais, se existirem. Onde há fumaça...

3 - A regulamentação está chegando

Parece que o aumento da regulamentação das criptomoedas e do DeFi não é mais apenas um boato - é uma certeza. Em muitos países as autoridades aumentaram a exigência de controle nesse mercado. Uma preocupação é que as plataformas DeFi oferecem serviços semelhantes aos bancos, mas sem os mesmos níveis de proteção ao consumidor que os bancos tradicionais podem oferecer. E outra preocupação é a facilidade com que os ‘serviços DeFi anônimos’ conseguem contornar as leis existentes.

4 - Há muitas maneiras de se expor aos investimentos DeFi

Se você deseja aumentar a sua exposição aos ativos DeFi, uma boa estratégia é comprar tokens de criptomoeda DeFi. Como o mercado de DeFi cresceu muito nos últimos meses, o valor dessas moedas também cresceu.

Você também pode ganhar juros sobre suas criptomoedas através do DeFi

Nós mencionamos as plataformas de empréstimos, que regularmente pagam taxas muito mais altas do que você encontrará em uma conta bancária comum ou mesmo num investimento ‘tradicional’.  

Como acontece com qualquer modalidade de investimento em criptomoeda, se você optar por entrar de cabeça nos investimentos DeFi, invista apenas o dinheiro que você pode perder, aquele valor que não fará nenhuma diferença se sumir. 

E certifique-se de pesquisar esse mercado cuidadosamente para ter certeza de que compreende totalmente os riscos inerentes a esta atividade. Este é um mundo novo e muito empolgante, mas também não possui muitas ferramentas de proteção contra fraudes ou decisões erradas. Então, seja prudente em suas escolhas.

 

...

 

MundoZ! Dinheiro
Author: MundoZ! Dinheiro
As informações de investimento apresentadas nesta página se destinam apenas para fins educacionais. Nós não oferecemos serviços de consultoria ou corretagem e nem recomendamos ou aconselhamos investidores a comprar ou vender qualquer tipo de ativo.