Empreendedorismo

Os 7 tipos mais comuns de empreendedores

Selecionamos sete tipos de empreendedores fictícios e históricos, com seus prós e contras. Veja se você se reconhece em algum deles.
Tempo de leitura: 5 minutos.

Ao desenvolver esta tipologia da personalidade do empresário, levamos três fatores em consideração. Por um lado, as qualidades necessárias para empreender com sucesso; de outro, os motivos que levam ao embarque na aventura e, por fim, a forma como, detectada a oportunidade, ela acaba se tornando a porta para algo muito grande.

Para os especialistas, há uma série de qualidades comuns a um empresário de sucesso. Junto com iniciativa, criatividade, perseverança ou tenacidade, a maioria preenche pelo menos três dos cinco requisitos a seguir:

Grande capacidade de correr riscos;
Tolerância à frustração;
Paixão por tudo o que fazem;
Intuição e flexibilidade para se adaptar a realidade do meio em que se encontram.

Mas ainda temos que adicionar mais alguns ingredientes nesse coquetel da personalidade de nossos heróis.

1) Howard Hughes, o visionário

Este modelo empreendedor, identificado na figura de Howard Hughes, é capaz de realizar diversas tarefas e realizá-las todas muito bem, diga-se de passagem. Hughes construiu sua primeira estação de rádio aos oito anos e aos 12, sua primeira bicicleta motorizada. Foi aviador, industrial e inventor. Seria o multi empreendedor que está sempre à procura de onde fazer negócio.

Características

- São muito versáteis e ousam em qualquer ambiente.
- São vocacionados e apaixonados, o que os torna mais comunicativos e persuasivos.
- Eles têm pouca aversão ao risco.

Ponto fraco

- O "o que não é concluído pode ruir". ou seja, aquele que não conclui o que começou. E continua abrindo portas permanentemente, mas não fecha nenhuma. O resultado é que pode ser percebido como inconstante, porque muda continuamente de alvo.

Nossa sugestão, para quem se identifica com este estereótipo:

- É importante adquirir evidências e não pular para outro projeto antes de concluir o anterior. E toda vez que você mudar de objetivo, tente comunicar os motivos de sua mudança de ideia e justificá-la.

2) Robinson Crusoe, empresário por necessidade

Eles são empresários que são forçados pelas circunstâncias a identificar oportunidades no ambiente em que se encontram. São como Robinsons Crusoe do mundo empresarial e cuja subsistência depende da identificação das possibilidades do meio ambiente.

Características

- Eles normalmente empreendem por necessidade ou para fugir das circunstâncias atuais. Eles não estão satisfeitos com sua situação profissional ou financeira e decidem explorar novas possibilidades.
- São muito cautelosos na hora de empreender e tendem a embarcar em pequenos projetos que quase são como pequenos protótipos de algo maior.
- A necessidade obriga-os expremer o cérebro para que acabem desenvolvendo o faro para detectar oportunidades muito importantes. E são constantes e tenazes, por isso acabam descobrindo a melhor forma de “conseguir o trigo para seu sustento”, como o Crusoé de Defoe.
- Eles desenvolveram muito o valor do esforço individual e o papel do trabalho no desenvolvimento humano e econômico.

O ponto fraco

- O calcanhar de Aquiles deste tipo de empreendedor é que, muitas vezes, falta-lhes um objetivo definido, é difícil para eles se orientarem. Verdade: a atividade empreendedora os escolhe e não o contrário, então eles precisam desenvolver um pouco de personalidade empreendedora.
- Eles também tendem a ficar facilmente desanimados com a primeira crise econômica ou o primeiro revés do negócio, mas em compensação eles também são mais persistentes.

Nossa sugestão, para quem se identifica com este estereótipo:

- Aprenda a definir o seu nicho de mercado para não ficar à mercê dos altos e baixos desse mesmo mercado. Talvez seja melhor analisar um pouco mais o modelo de empreendedor de Preston Tucker, que mostraremos mais adiante. Seja um pouco mais vertical ou horizontal, de acordo com suas preferências, para desenvolver mais suas habilidades.
- Especialize-se no seu setor, profissionalize-se e, se puder, desenvolva suas habilidades de gestão. Não falta criatividade, já que você sabe como aproveitar as oportunidades.

3) Tio Patinhas, o empresário investidor

É aquele que tem capital e decide criar uma empresa. Busca a lucratividade acima de tudo. O personagem fictício que melhor se encaixa nesse perfil é tio Patinhas, sempre contando suas moedas de ouro. Uma variação desse modelo é o do empresário que cria empresas com a ideia de vendê-las, uma espécie de empreendedor em série.

Características

- Todos devemos ter alguma característica do Tio Patinhas: sempre em busca de rentabilidade e oportunidades em qualquer circunstância. Eles podem sempre ver o copo meio cheio.
- A busca constante pela lucratividade aumenta a aversão ao risco, o que pode paralisar grandes projetos.

O Ponto fraco

- Se o dinheiro demora a entrar ficam desestimulados para continuar a acreditar no projeto, principalmente depois de algum prejuízo. Estão pouco envolvidos no dia a dia do negócio.

Nossa sugestão, para quem se identifica com este estereótipo:

- Caso não consiga se envolver pessoalmente, escolha como segundo no comando alguém que atenda aos requisitos de liderança, influência, persuasão e carisma, para ser a 'face visível' da gestão.


4) Sherlok Holmes, vive em busca de oportunidades

 

Lupa na mão, como se fosse um Sherlok Holmes, ele se dedica a analisar o mercado. Ele seria um empresário por excelência, pois é quem analisa conscientemente o mercado buscando identificar as necessidades dos usuários ou consumidores.

Características

- Ele tem uma mente muito racional e analítica, o que lhe permite detectar como as coisas são feitas muito rapidamente. Percebe os menores detalhes e tira suas próprias conclusões.
- Geralmente são muito versáteis: com muitas habilidades, mas não costumam ser especialistas em nada. Essa capacidade de dominar muitas disciplinas é o que lhes permite ingressar em diferentes negócios.

O Ponto fraco

- A análise excessiva pode torná-los empresários muito frios e pouco envolvidos, que não têm uma boa comunicação e habilidades no trato com as pessoas, além disso, muita análise pode levar à paralisia.

Nossa sugestão, para quem se identifica com este estereótipo:

- Deixe-se levar de vez em quando pela paixão e intuição em um projeto. Nem tudo pode ser elementar... uma boa ajuda seria encontrar um Doutor Watson que traz um toque emocional ao projeto.


5) Forrest Gump, o empresário aleatório

Quando Forrest Gump enxuga o rosto enlameado com a toalha, o famoso símbolo do Sorriso aparece e ele conta ao vizinho do banco como ganhou muito dinheiro com aquele rosto. É um exemplo extremo do que é um empreendedor por acaso ou por acidente, mas é verdade que muitos grandes empreendedores reconhecem o papel do acaso ou da sorte no início de seus empreendimentos.

Características

- Eles costumam ter uma visão clara do que o mercado precisa.
- Grande capacidade de adaptação às mudanças, sabem aproveitar os contratempos. Eles endossam a máxima do filme: “A vida é uma caixa de chocolates, você nunca sabe o que vai te deixar mais feliz”.
- Normalmente surgem “em mercados em crescimento, com altas ineficiências. De repente, surge o empresário espontâneo que ousa e se joga, quase por acaso ”.
- Às vezes o empreendedor por acaso é consequência do empreendedor que está fugindo de alguma coisa.

Seu ponto fraco

- Por terem pouca capacidade de decisão, muitas vezes falta envolvimento no projeto.

Nossa sujestão, para quem se identifica com este estereótipo:

- Você deve vencer assumindo o compromisso e se especializando no seu setor e na sua área de atuação. Mergulhe no assunto e rodeie-se de profissionais. Porure simplificar um pouco os processos do negócio.


6) Preston Tucker, o dublê

Ele tem um perfil muito técnico, muito especialista. Assim como Tucker, protagonista de "Tucker, um homem e seu sonho", que passou toda a sua vida em empresas automotivas até ter conhecimento suficiente para realizar o sonho de criar seu próprio carro.

Características

- Eles têm um ponto de acuidade visual para detectar onde os erros estão sendo cometidos e encontrar uma maneira de fazer algo melhor.
- Muitas vezes são individualistas e encarnam o protagonista do filme: enfrentar gigantes sem apoio. Seu sucesso depende de cooperação.

Seu ponto fraco

- Eles raramente se encarregam de coordenar os diferentes departamentos do negócio. Se você é um especialista em produção, esqueça os departamentos de RH ou Marketing. Outro ponto fraco é que lhes escapa a percepção de que o mercado costuma ser limitado e em tempos de recessão você pode ficar sem clientes.

Nossa sugestão, para quem se identifica com este estereótipo:

- Considere suas deficiências de coordenação e tente ouvir os diferentes departamentos. O bom líder não é aquele que supervisiona as atividades da equipe, mas aquele que sabe ouvir cada um de seus membros e então atua como elo de ligação e coordenador, mas deixa a coisa rolar. Se você não se considera capaz de controlar tudo, escolha alguém que tenha essa capacidade para atuar como CEO.


7) Ernest Shackleton, o empresário persuasivo

Ele faz com que sua habilidade de influenciar seu grande trunfo. Ele consegue convencer todos os seus colaboradores e empurrá-los para o mesmo objetivo. É como o explorador Shakleton, que reuniu 28 expedicionários com a alegação exclusiva de sua fama e avisando que não garantia o retorno com vida de nenhum dos integrantes da equipe.

Características

- Eles conquistam uma sólida reputação em seu setor que os apoia para se lançar no empreendedorismo. Geralmente são empresas pequenas e muito personalistas, tipo pequenas lojas.
- Como Shackleton, ele tem uma fé inabalável em si mesmo e em seu projeto. Eles são persistentes e indisponíveis para o desânimo, o que às vezes pode ser interpretado como uma negação da realidade.

O Ponto fraco

- As pessoas seguem mais o indivíduo do que o objetivo da empresa. Há um risco claro de que qualquer mancha na imagem do gerente pode virar o barco, além disso geralmente também apresentam uma limitação de crescimento.
- Quando chegasse ao extremo, caem na “superinfluência”, que já beira o abuso de poder e a manipulação do grupo.

Nossa sugestão, para quem se identifica com este estereótipo:

- Tente crescer, profissionalizar-se, expandir sua formação, ganhar experiência e dar corpo e solidez ao negócio, para que as pessoas aprendam a acreditar em você, independentemente da sua imagem. Uma boa opção é focar em programas de desenvolvimento pessoal.

...

MundoZ! Empreendedorismo
Author: MundoZ! Empreendedorismo
Se você gostou do nosso artigo curta, compartilhe com seus amigos. Isso nos ajuda a continuar criando matérias interessantes e conteúdos incríveis para nossos leitores.

Gostou desse artigo? Compartilhe com seus amigos.

Topo