Dinheiro

Banco Central oficializa sistema de pagamentos instantâneos no Brasil

O BC publicou a circular 4.027 que institui de maneira oficial o Sistema de Pagamentos Instantâneos, SPI, num claro movimento para a digitalização da economia.
Tempo de leitura: 4 minutos.

A Conta de Pagamentos Instantâneos, Conta PI, também foi instituída na mesma circular. Esses dois sistemas são integrantes do PIX, o sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central que, em tese, deve acabar com as operações de transferência de valores através do TED e DOC.

PIX

O sistema PIX objetiva suprir uma demanda crescente por meios de pagamentos mais rápidos, seguros e menos onerosos aos consumidores.

RELACIONADO: Como fazer a chave PIX

"Me parece que este é um dos projetos mais importantes que o BC está implementando este ano. O PIX nasceu de uma demanda que o público tem apresentado e que tem sido objeto de muita discussão entre bancos centrais", diz o presidente do BC, Roberto Campos Neto, para o qual o mundo está exigindo um novo modelo de pagamentos.

"(...) que seja ao mesmo tempo barato, transparente, rápido e seguro. Se analisarmos o que está ocorrendo no mundo no que tange a criação novas moedas digitais, veremos que há uma demanda cada vez maior por este tipo de instrumento." Destacou.

Circular

O BC também estabeleceu as regras para o funcionamento do novo sistema na circular 4.027, além da oficialização do SPI. Com o PIX, diferente do que temos hoje, será possível fezer transferências ininterruptas entre contas, 24 hs por dia, 7 dias por semana e em tempo máximo de 10 segundos.

"O SPI é uma estrutura centralizada de liquidação bruta em tempo real, de pagamentos instantâneos que resultam em transferências de valores entre os participantes, titulares de Conta de Pagamentos Instantâneos, a Conta PI, no BC do Brasil." Informou o Banco Central.

Bancos e fintechs

O BC também divulgou a lista de instituições que já solicitaram adesão ao novo sistema de pagamento, além dos grandes bancos, Banco do Brasil, Itaú, Santander, Bradesco.

Dessa forma, empresas como as fintechs PicPay, NuBank, Mercado Pago, Iugu, PagSeguro dentre outras estão entre as que solicitaram adesão ao sistema, que segundo o próprio BC, teriam até o próximo 01 de junho para aderir ao PIX. Depois dessa data o BC dará inicio ao processo de testes e homologação do sistema.

De acordo com o BC, o próximo passo é saber como bancos e empresas do setor das fintechs pretendem apresentar o sistema PIX aos seus clientes. O BC também pretende verificar se as soluções apresentadas pelas empresas realmente atende os requisitos definidos por ele.

"Queremos ter garantias de que a população em geral realmente terá acesso ao sistema PIX de maneira simples e prática. Para que absolutamente todos compreendam perfeitamente como o novo sistema de pagamento funciona e consigam usá-lo. Relata Breno Lobo, do Banco Central.

As criptomoedas

As exchanges de BitCoin poderão fazer parte do novo sistema de pagamentos, PIX. O BC já informou que as criptomoedas são muito bem-vindas ao PIX. Não havendo nenhuma restrição pelo Bacen no que tange a participação das empresas que operam cripto moedas.

MundoZ! Dinheiro
Author: MundoZ! Dinheiro
Se você gostou do nosso artigo curta, compartilhe com seus amigos. Isso nos ajuda a continuar criando matérias interessantes e conteúdos incríveis para nossos leitores.

Topo