MundoZ! Portal de Conteúdo.

Dinheiro

Como saber se uma instituição financeira é confiável?

Instituições financeiras confiáveis entram em contato por meios mais formais, como telefone ou do e-mail, utilizando uma linguagem profissional.
Tempo de leitura: 5 minutos

Fraudes e golpes financeiros ainda são muito comuns no Brasil, infelizmente, de forma que muitas pessoas ainda perdem dinheiro com esse tipo de atividade ilegal.

Golpes onde os criminosos utilizam um celular via WhatsApp ou mesmo SMS (mensagem de texto) - para encontrar vítimas são cada vez mais frequentes e mais elaborados. Para se ter uma ideia, uma fraude que está se espalhando envolve uma promessa de empréstimo onde a vítima precisa fazer um pagamento antecipado para que seja emitido um 'documento contábil' (inexistente), chamado de Decore. Então fique atento e acompanhe nosso artigo para saber como se precaver contra esses criminosos. 

Além disso, há bastante dificuldade em encontrar instituições financeiras que ofereçam um empréstimo online confiável em meio a tantas ofertas existentes.

Por isso, é preciso saber quando uma instituição financeira é confiável ou não, especialmente considerando que é cada vez mais comum a ocorrência de golpes através das redes sociais, por exemplo. Separamos alguns fatores que podem ajudar a verificar se uma instituição é digna da sua confiança ou se, se trata de algum tipo de golpe.

Verifique a fiscalização dos órgãos oficiais

Para que uma instituição financeira mantenha suas operações em dia, ela deve prestar conta para diversos órgãos governamentais que atestem sua veracidade. Ou seja, para emprestar dinheiro de forma legal, é preciso ter um cadastro ativo nas duas instituições governamentais abaixo.

- Bacen
- CVM

O primeiro órgão que é preciso verificar é o Banco Central do Brasil (Bacen), que mantém registro desse tipo de instituição. É possível fazer a verificação no próprio site do Bacen, disponível para qualquer usuário.

Outro órgão em que é necessário ter um cadastro é a Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Assim como no caso do Bacen, é possível verificar esses dados no site dessa instituição.

O tipo de abordagem da instituição

Geralmente, instituições financeiras mais confiáveis entram em contato por meios mais formais, como telefone ou do e-mail, utilizando uma linguagem profissional. Por isso, se uma suposta instituição financeira (credora) entrou em contato com você através do WhatsApp, Instagram ou qualquer outra rede social, você já deve ficar atento, pois isso pode ser um indício de golpe.

Além disso, é preciso verificar como a pessoa se comunica: ela escreve com muitos erros de português e com uma linguagem muito informal? Geralmente, instituições credoras sérias não agem dessa forma.

Outro ponto importante é a respeito das informações passadas na conversa: se elas parecem incompletas e são explicadas de forma inconclusiva pelo atendente, pode ser uma instituição não confiável. Dessa forma, você já deve ficar suspeito para sinais como esses, evitando cair em algum tipo de fraude.

Pouca formalidade e pedido de dinheiro antecipado

Para qualquer tipo de serviço financeiro, é fundamental que haja a confirmação das duas partes através de uma série de mecanismos: comprovação de documentos, assinatura de contrato e outros.

Por isso, se a instituição financeira (credora) afirma ser possível realizar qualquer tipo de operação sem nenhuma assinatura de contrato ou confirmação oficial entre as duas partes, comece a suspeitar.

Além disso, muitos golpistas que se disfarçam desse tipo de instituição financeira (credora) pedem valores antecipados, ainda que seja um valor pequeno que funcione como “sinal” de negócio. Se não houve nenhum contrato e está tudo sendo feito de maneira informal, você não deve mandar nenhum dinheiro ou dado sigiloso.

Falta de transparência

Um claro sinal de fraude é, caso a instituição financeira não seja totalmente transparente com você. Por exemplo: quando o suposto representante não fala quais serão os juros totais do empréstimo ou quando não informa o valor final a ser pago. Outro ponto que mostra falta de transparência é a ausência de informações sobre a empresa em mecanismos oficiais de contato, como site e redes sociais. 

Claro, nenhuma instituição financeira (credora) é obrigada a ter perfis em todas as redes sociais e fazer uso das últimas tecnologias, mas deve prestar o mínimo de contas aos clientes através dos mais variados meios de atendimento, inclusive na internet. Um ponto válido que deve ser levado em consideração é a segurança no site, ao clicar no cadeado na barra de endereço do navegador, do lado do nome do domínio do site, por exemplo: www.bancosafra.com.br, deve ser possível ver as informações de segurança da página (site). 

A falta de transparência em contratos e na comunicação oficial da empresa financeira pode ser um sinal de instituição pouco confiável. Fique sempre atento a esses pontos!

 

...

Author: Bianca Bezerra - Colaboração para MundoZ!