Tecnologia

Mercado de streaming estabiliza após ano de euforia

Consumidores com mais de 50 anos compõe maior grupo de usuários.
Mercado de streaming

Segundo informações da pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box, que compila dados sobre os hábitos e preferências na utilização de apps no Brasil, os consumidores estão contratando menos serviços de streaming neste segundo semestre do que durante os últimos 18 meses, quando as medidas de isolamento social, causadas pela pandemia impulsionou esse mercado.

Veja também

- YouCine. O app que te deixa assistir séries e filmes de graça
- Aplicativos para assistir séries grátis no celular: veja o Top3!
-
YouTube Shorts a nova arma do Youtube para concorrer com o TikTok

Existe uma certa tendência de que o mercado de streaming esteja atingindo uma fase de estabilidade, isso pode ser apurado pelo volume de instalações e de desinstalações de aplicativos. O número de usuários que estão há mais de 30 dias sem instalar um aplicativo de streaming, aumentou de 10% para 15%, nos últimos seis meses.

Em contrapartida, o número de usuários de smartphones que não desinstalaram nenhum app há mais de trinta dias, aumentou de 12% para 19%. No ano de 2020, em plena pandemia, ocorreu um grande aumento nas instalações e desinstalações de apps aqui no Brasil, isso indicava a grande atividade digital dos consumidores no país. Segundo a pesquisa, esses números tendem a crescer conforme a faixa etária, entre os mais jovens, pessoas de 15 a 29 anos, 9% dos usuários já estão há mais de trinta dias sem fazer a instalação de um app de streaming. Já entre pessoas de 30 a 49 anos, essa taxa sobe para 15%, chegando a 29% entre os usuários com 50 anos ou mais.

É possível que isso seja fruto de um movimento de estabilização do mercado, depois daquela euforia vivida em 2020, nos primeiros 12 meses da pandemia. Quando as pessoas estavam procurando por novas alternativas de entretenimento e novas ferramentas de trabalho.

A pesquisa também identificou o aumento de ‘gadgets wearebles’ como relógios e pulseiras conectadas a smartphones, a taxa de utilizadores destes equipamentos está em 24%. Na pesquisa feita no final do segundo semestre de 2020, este número era de 20%, já em novembro de 2019 era de 16%, e em 2018 era de apenas 10%.

Sendo que a utilização destes equipamentos – wearebles – é maior entre o público masculino (27%), entre as mulheres esse número fica em apenas 22%. Sobre as funcionalidades wearebles mais usadas pelos consumidores estão a verificação de notificações (39%), seguido do monitoramento de exercícios físicos com 24%.

A pesquisa da Mobile Time foi aplicada de forma online, entre 5 e 19 de maio de 2021 pela Opinion Box, e envolveu 2.133 usuários com idade mínima de 16 anos e que contam de acesso à internet através de smartphones, a pesquisa ainda seguiu as proporções de gênero, idade, renda, além de distribuição geográfica. Dentre os usuários pesquisados 89% utilizam smartphones equipados com sistema Android (10%), iOS (10%) e apenas 1% dos pesquisados não souberam responder. A margem e erro da pesquisa é de apenas 2,1 pontos percentuais e o grau de confiança é de 95%.

 

...

MundoZ! Tecnologia
Author: MundoZ! Tecnologia
Se você gostou do nosso artigo curta, compartilhe com seus amigos. Isso nos ajuda a continuar criando matérias interessantes e conteúdos incríveis para nossos leitores.

Topo